sábado, 31 de dezembro de 2011

Solenidade da Santa Mãe de Deus

No dia primeiro de janeiro a Igreja celebra a Solenidade da Santa Mãe de Deus. Desta forma, ela quer consagrar todo o ano que começa àquela que trouxe o Salvados a este mundo.  Theothokos = Mãe de Deus: Este título traz em si um dogma que dependeu de dois Concílios, em 325 o Concílio de Nicéia, e em 381 o de Constantinopla. Estes dois concílios trataram de responder a respeito desse mistério da consubstancialidade de Deus uno e trino, Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
No mesmo século, século IV, já ensinava o bispo Santo Atanásio: "A natureza que Jesus Cristo recebeu de Maria era uma natureza humana. Segundo a divina escritura, o corpo do Senhor era um corpo verdadeiro, porque era um corpo idêntico ao nosso". Maria é, portanto, nossa irmã, pois todos somos descendentes de Adão. Fazendo a relação deste mistério da encarnação, no qual o Verbo assumiu a condição da nossa humanidade com a realidade de que nada mudou na Trindade Santa, mesmo tendo o Verbo tomado um corpo no seio de Maria, a Trindade continua sendo a mesma; sem aumento, sem diminuição; é sempre perfeita. Nela, reconhecemos uma só divindade. Assim, a Igreja proclama um único Deus no Pai e no Verbo, por isso, a Santíssima Virgem é a Mãe de Deus.
No terceiro Concílio Ecumênico em 431, foi declarado Santa Maria a Mãe de Deus. Muitos não compreendiam, até pessoas de igreja como Nestório, patriarca de Constantinopla, ensinava de maneira errada que no mistério de Cristo existiam duas pessoas: uma divina e uma humana; mas não é isso que testemunha a Sagrada Escritura. porque Jesus Cristo é verdadeiro Deus em duas naturezas e não duas pessoas, uma natureza humana e outra divina; e a Santíssima Virgem é Mãe de Deus.
O coroinha deve procurar neste dia colocar seu serviço ao altar sob a proteção da Mãe de Deus e nossa, para que ele possa ser sempre mais frutuoso e ao mesmo tempo possa ser para a glória de Deus, a salvação das almas e a nossa santificação.
Aproveitando a oportunidade quero desejar a todos os coroinhas um Ano de 2012 abençoado por Deus.
Padre Antônio Aguiar

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

'TE ADORAMOS OH MENINO...'


O que trago em mim de maior valor,
O ouro tesouro que é o meu coração
Faria qualquer coisa para ver-te sorrir
Quero dar ao teu coração as primícias do meu amor
E ficar pra sempre junto a ti 
Suspiro que sobe até o céu
Perfume suave ao pequeno Senhor
Eis o meu incenso tão simples louvor 
Eu não tenho um perfeito amor, mas anseio por Ti Senhor 
E hoje diante de Ti 
Não tenho muito pra te dar 
Mas hoje a mirra que trago comigo 
são os sacrifícios de cada dia 
A renuncia do meu querer 
A escolha por Teu viver e o mais intimo de mim te oferecer 
Te adoramos Oh Menino, Tu que és a Luz do mundo

Música: Oferta/ Luz do Mundo; Comunidade Católica Shalom.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

"NO CORAÇÃO DA IGREJA,MINHA MÃE, EU SEREI O AMOR..."

 
" Como, na oração meus desejos me faziam passar por verdadeiro martírio, abri as epístolas de São Paulo, a fim de buscar alguma resposta. Dei com os olhos nos capítulos 12 e 13 da primeira epístola aos Coríntios...Li, no primeiro deles, que nem todos podem ser apóstolos, profetas, doutores etc...que a Igreja se compõe de membros diversos, e que o olho não poderia ser mão ao mesmo tempo...A resposta era clara, mas não satisfazia meus anseios, não me dava paz...Como Madalena insistia em debruçar-se por sobre o túmulo vazio e acabou encontrando o que procurava, assim também, debruçando-me até as profundezas do meu nada, ergui-me a tal altura, que pude alcançar meu objetivo...Sem esmorecer, dei continuação à leitura, e a frase seguinte consolou-me :'Aspirai, pois, aos DONS MELHORES, e mostrar-vos-ei um caminho mais perfeito ainda'. E o Apóstolo explica como todos os dons mais PERFEITOS não são nada sem o AMOR...que a caridade é o CAMINHO POR EXCELÊNCIA, o qual leva a Deus com segurança.
 
Encontrara, enfim, tranquilidade...Tomando em consideração o corpo místico da Igreja, não me identificava em nenhum dos membros descritos por São Paulo, por outra, queria identificar-me em todos eles. A caridade deu-me a chave da minha vocação. Compreendi que, se na Igreja tinha corpo, composto de vários membros, não lhe faltava o mais necessário, o mais nobre de todos. Compreendi que a Igreja tinha coração, e que o coração era ARDENTE DE AMOR. Compreendi que só o amor fazia os membros da Igreja atuarem, e que se o amor se extinguisse, os Apóstolos já não anunciariam o Evangelho e os Mártires se recusariam a derramar seu sangue...Compreendi que o AMOR ABRANGE TODAS AS VOCAÇÕES, ALCANÇA TODOS OS TEMPOS E TODOS OS LUGARES...NUMA PALAVRA É ETERNO...
 
Enfim, no transporte de minha delirante alegria, pus-me a exclamar: Ó Jesus, minha vocação, encontrei-a afinal: MINHA VOCAÇÃO É O AMOR...
Sim, encontrei o meu lugar na Igreja, e tal lugar, ó meu Deus, fostes vós que mo destes...No coração da Igreja, minha Mãe, serei o amor...Assim serei tudo...Assim se realizará meu sonho!!!..."

Santa Teresinha, em História de uma alma, Capítulo IX, Pontos:253 e 25

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Benção Urbi et Orbi

No ultimo dia 25 de Dezembro Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo , Sua Santidade o Papa Bento XVI nos concedeu a benção Urbi et Orbi (no  qual nosso blog contém toda  a mensagem do Santo Padre  à duas postagens atrás),mais as vezes nem sabemos o significado  dessa  benção  tão linda que o Sucessor dos Apóstolos nos concede  vamos agora tentar esclarecer  essa dúvida.

Significado:
Urbi et Orbi ("à cidade [de Roma] e ao mundo") era uma abertura comum em pronunciamentos romanos e é a benção de Páscoa e Natal, com as quais o Papa se dirige ao público em geral na Praça de São Pedro.

Onde acontece e o que é necessário?:
É realizada da varanda central da Basílica de São Pedro (a Varanda das bênçãos) decorada com cortinas e o trono do Papa colocado lá, sendo que ele é revestido com ornamentos solenes (mitra, tiara e etc) e é precedido por um cruz processional e acompanhado por cardeais diáconos. A benção também é concedida pelo papa em sua eleição, ou seja, no final do conclave.
Que os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, em cujo poder e autoridade temos confiança, intercedam por nós junto ao Senhor.
R / Amém.
Que por meio das orações e dos méritos da Santíssima Virgem Maria, de São Miguel Arcanjo, de São João Batista, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e de todos os santos, Deus todo-poderoso tenha misericórdia de vós, perdoe os vossos pecados e vos conduza à vida eterna em Jesus Cristo.
R / Amém.
Que o Senhor Todo Poderoso e misericordioso vos conceda indulgência, absolvição, e remissão de todos os vossos pecados, em tempo para uma verdadeira e frutuosa penitência, sempre com coração contrito, e a benção da vida, a graça, a consolação do Espírito Santo e perseverança final nas boas obras.
R / Amém.
E que a bênção de Deus Todo Poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo desça sobre vós e permaneça sempre.
R / Amém.

E essa benção perdura por séculos e séculos, no qual Nosso Senhor nos concede essa belíssima benção pelas mãos do Santo Padre, que vem nos encher de ânimo  para dar continuidade no anúncio do evangelho que o própio Senhor nos pede.


A principal característica desta bênção aos fiéis é que concede uma penitência e uma indulgência plenária sob as condições definidas pelo direito canónico (ter confessado e recebido a comunhão, e não ter caído em pecado mortal).

A benção em Latim e Português:
Sancti Apostoli Petrus et Paulus: de quorum potestate et auctoritate confidimus ipsi intercedant pro nobis ad Dominum.
R/ Amen.
Precibus et meritis beatæ Mariae semper Virginis, beati Michaelis Archangeli, beati Ioannis Baptistæ, et sanctorum Apostolorum Petri et Pauli et omnium Sanctorum misereatur vestri omnipotens Deus; et dimissis omnibus peccatis vestris, perducat vos Iesus Christus ad vitam æternam.
R/ Amen.
Indulgentiam, absolutionem et remissionem omnium peccatorum vestrorum, spatium verae et fructuosae poenitentiæ, cor semper penitens, et emendationem vitae, gratiam et consolationem Sancti Spiritus; et finalem perseverantiam in bonis operibus tribuat vobis omnipotens et misericors Dominus.
R/ Amen.
Et benedictio Dei omnipotentis, Patris et Filii et Spiritus Sancti descendat super vos et maneat semper.
R/ Amen.

'JOÃO ERA O DISCÍPULO AMADO DE JESUS. EM SEU CORAÇÃO HAVIA GRANDE NECESSIDADE DO SEU AMOR.'


"Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." 
(São João Evangelista, Jo 3,16)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Oitava de Natal

Coroinha: fique ligado. Depois do Natal, nós celebramos a Oitava de Natal. A Oitava tem dois sentidos no uso litúrgico cristão. No primeiro, é o oitavo dia após uma festa, inclusivamente, de forma que o dia sempre caia no mesmo dia da semana que a festa original. A palavra é derivada do latim octava (oitavo), com "dies" subentendido. O termo é também aplicado para todo o período de oito dias, durante o qual as ditas festas passam a ser observadas também.

  O Natal não é apenas a celebração do aniversário de Jesus, é memória da nossa redenção. São Leão Magno um pai do século V, afirma que, com o nascimento de Jesus, “brilhou para nós o dia da nossa redenção”. Em Jesus Deus se aproximou do mundo, desposou a nossa humanidade, por isso, o mesmo Leão Magno refere-se às festas do natal como ao dia das nossas núpcias, em que se realizou o admirável intercâmbio entre o céu e a terra. 

  A prática da celebração das oitavas pode ter tido suas origens na celebração de oito dias da Festa dos Tabernáculos e da Dedicação do Templo do Antigo Testamento. Porém, o número "oito" também pode ser uma referência à ressurreição, que na igreja antiga era geralmente chamada de "oitavo dia".

  Por esta razão, antigas fontes batismais e tumbas cristãs tinham a forma de octógonos. A prática das oitavas foi introduzida pela primeira vez por Constantino I, por conta da festa de dedicação das basílicas de Jerusalém e Tiro, que duraram oito dias. Depois disso, festas litúrgicas anuais passaram a ser observadas na forma de oitavas. As primeiras foram a Páscoa, o Pentecostes e, no oriente, a Epifania. Isto ocorreu no século IV d.C. e indicava a reserva de um período para os conversos terem um alegre retiro.
  O desenvolvimento as oitavas ocorreu vagarosamente. Do século IV até o VII d.C., os cristãos observaram as oitavas com uma celebração no oitavo dia, com poucas liturgias durante os dias intermediários. O Natal foi a próxima festa a receber uma oitava. Já pelo século VIII d.C., Roma tinha desenvolvido oitavas não somente para Páscoa, Pentecostes e Natal, mas também para a Epifania e as festas de dedicação de igrejas individuais. Do século VII d.C. em diante, as festas dos santos também passaram a ter oitavas, isso é, uma festa no oitavo dia e não uma festa de oito dias. A partir do século XII d.C., o costume passou a ser a observância dos oito dias intermediários, além do oitavo. 
 Aí está uma pequena explicação a você coroinha da Oitava do Natal para que voce possa saborear melhor as riquezas deste tempo. No mais, um FELIZ E SANTO NATAL A TODOS.
Padre Antônio Aguiar

domingo, 25 de dezembro de 2011

MENSAGEM DE NATAL DO PAPA BENTO XVI


Amados irmãos e irmãs de Roma e do mundo inteiro!

Cristo nasceu para nós! Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens do seu agrado: a todos chegue o eco deste anúncio de Belém, que a Igreja Católica faz ressoar por todos os continentes, sem olhar a fronteiras nacionais, linguísticas e culturais. O Filho da Virgem Maria nasceu para todos; é o Salvador de todos.
Numa antífona litúrgica antiga, Ele é invocado assim: «Ó Emanuel, nosso rei e legislador, esperança e salvação dos povos! Vinde salvar-nos, Senhor nosso Deus». Veni ad salvandum nos! Vinde salvar-nos! Tal é o grito do homem de todo e qualquer tempo que, sozinho, se sente incapaz de superar dificuldades e perigos. Precisa de colocar a sua mão numa mão maior e mais forte, uma mão do Alto que se estenda para ele. Amados irmãos e irmãs, esta mão é Cristo, nascido em Belém da Virgem Maria. Ele é a mão que Deus estendeu à humanidade, para fazê-la sair das areias movediças do pecado e segurá-la de pé sobre a rocha, a rocha firme da sua Verdade e do seu Amor (cf.Sal 40, 3).

E é isto mesmo o que significa o nome daquele Menino (o nome que, por vontade de Deus, Lhe deram Maria e José): chama-se Jesus, que significa «Salvador» (cf. Mt 1, 21; Lc 1, 31). Ele foi enviado por Deus Pai, para nos salvar sobretudo do mal mais profundo que está radicado no homem e na história: o mal que é a separação de Deus, o orgulho presunçoso do homem fazer como lhe apetece, de fazer concorrência a Deus e substituir-se a Ele, de decidir o que é bem e o que é mal, de ser o senhor da vida e da morte (cf. Gn 3, 1-7). Este é o grande mal, o grande pecado, do qual nós, homens, não nos podemos salvar senão confiando-nos à ajuda de Deus, senão gritando por Ele: «Veni ad salvadum nos – Vinde salvar-nos!»

O próprio fato de elevarmos ao Céu esta imploração já nos coloca na justa condição, já nos coloca na verdade do que somos nós mesmos: realmente nós somos aqueles que gritaram por Deus e foram salvos (cf. Est (em grego) 10, 3f). Deus é o Salvador, nós aqueles que se encontram em perigo. Ele é o médico, nós os doentes. O fato de reconhecer isto mesmo é o primeiro passo para a salvação, para a saída do labirinto onde nós mesmos, com o nosso orgulho, nos encerramos. Levantar os olhos para o Céu, estender as mãos e implorar ajuda é o caminho de saída, contanto que haja Alguém que escute e possa vir em nosso socorro.

Jesus Cristo é a prova de que Deus escutou o nosso grito. E não só! Deus nutre por nós um amor tão forte que não pôde permanecer em Si mesmo, mas teve de sair de Si mesmo e vir ter conosco, partilhando até ao fundo a nossa condição (cf. Ex 3, 7-12). A resposta que Deus deu, em Cristo, ao grito do homem, supera infinitamente as nossas expectativas, chegando a uma solidariedade tal que não pode ser simplesmente humana, mas divina. Só o Deus que é amor e o amor que é Deus podia escolher salvar-nos através deste caminho, que é certamente o mais longo, mas é aquele que respeita a verdade d’Ele e nossa: o caminho da reconciliação, do diálogo e da colaboração.

Por isso, amados irmãos e irmãs de Roma e do mundo inteiro, neste Natal de 2011, dirijamo-nos ao Menino de Belém, ao Filho da Virgem Maria e digamos: «Vinde salvar-nos»! Repitamo-lo em união espiritual com tantas pessoas que atravessam situações particularmente difíceis, fazendo-nos voz de quem a não tem.

Juntos, invoquemos o socorro divino para as populações do Nordeste da África, que padecem fome por causa das carestias, por vezes ainda agravadas por um estado persistente de insegurança. A comunidade internacional não deixe faltar a sua ajuda aos numerosos refugiados vindos daquela Região, duramente provados na sua dignidade.

O Senhor dê conforto às populações do Sudeste asiático, particularmente da Tailândia e das Filipinas, que se encontram ainda em graves situações de emergência devido às recentes inundações.

O Senhor socorra a humanidade ferida por tantos conflitos, que ainda hoje ensanguentam o Planeta. Ele, que é o Príncipe da Paz, dê paz e estabilidade à Terra onde escolheu vir ao mundo, encorajando a retoma do diálogo entre israelitas e palestinianos. Faça cessar as violências na Síria, onde já foi derramado tanto sangue. Favoreça a plena reconciliação e a estabilidade no Iraque e no Afeganistão. Dê um renovado vigor, na edificação do bem comum, a todos os componentes da sociedade nos países do Norte da África e do Médio Oriente.

O nascimento do Salvador sustente as perspectivas de diálogo e colaboração no Myanmar à procura de soluções compartilhadas. O Natal do Redentor garanta a estabilidade política nos países da região africana dos Grande Lagos e assista o empenho dos habitantes do Sudão do Sul na tutela dos direitos de todos os cidadãos.

Amados irmãos e irmãs, dirijamos o olhar para a Gruta de Belém: o Menino que contemplamos é a nossa salvação. Ele trouxe ao mundo uma mensagem universal de reconciliação e de paz. Abramos- Lhe o nosso coração, acolhamo-Lo na nossa vida. Repitamos-Lhe com confiada esperança: «Veni ad salvandum nos».




Fontes:

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Vamos meditar a Paixão de Nosso Senhor?

VIA-SACRA - ESCOLA VENEZIANA – SÉC. XVIII 
CATEDRAL DE PÁDUA


Quinta Estação: Jesus ajudado por Simão Cirineu a levar a Cruz.

Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.

Jesus é ajudado por Simão de Cirineu a levar a Cruz. No Santíssimo Sacramento, Jesus chama os homens para si, e poucos correspondem aos Seus convites. Convida-os ao banquete Eucarístico e tem mil pretextos para recursar. Jesus fica só, abandonado, com as mãos cheias de graça, que os homens não querem: tem medo do Seu Amor!
Oh! Senhor, compreendo que vale mais deixar tudo do que falhas a uma Comunhão, a maior de Vossa Graças. Perdoai o meu passado, e guardai minhas resoluções para o futuro.

         Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória...
       Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Em extremo desmaiado, deve auxílio 
aqui cansado, receber a Simeão. 
Pela Virgem dolorosa, vossa Mãe 
tão piedosa, perdoai-me ó meu Jesus,
perdoai-me ó meu Jesus.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Preparação Intensa para o Natal 17 á 24 até as vésperas

O segundo período do Advento, que abarca desde 17 até 24 de dezembro, inclusive, se orienta mais diretamente à preparação do Natal. Somos convidados a viver com mais alegria, porque estamos próximos do cumprimento do que Deus prometera.



Os evangelhos destes dias nos preparam diretamente para o nascimento de Jesus. Com a intenção de fazer sensível esta dupla preparação de espera, a liturgia suprime durante o Advento uma série de elementos festivos.

Desta forma, na Missa já não rezamos o Glória. Se reduz a música com instrumentos, os enfeites festivos, as vestes são de cor roxa, o decorado da Igreja é mais sóbrio, etc.
Todas estas coisas são uma maneira de expressar tangivelmente que, enquanto dura nosso peregrinar, nos falta alo para que nosso gozo seja completo. E quem espera, é porque lhe falta algo. Quando o Senhor se fizer presente no meio do seu povo, haverá chegado a Igreja à sua festa completa, significada pela Solenidade do Natal.
IV Domingo do Advento

O anúncio do nascimento de Jesus feito a José e a Maria. As leituras bíblicas e a prédica, dirigem seu olhar à disposição da Virgem Maria, diante do anúncio do nascimento do Filho dela e nos convidam a “aprender de Maria e aceitar a Cristo que é a Luz do Mundo”. Como já está tão próximo o Natal, nos reconciliamos com Deus e com nossos irmãos; agora nos resta somente esperar a grande festa. Como família devemos viver a harmonia, a fraternidade e a alegria que esta próxima celebração representa. Todos os preparativos para a festa deverão viver-se neste ambiente, com o firme propósito de aceitar a Jesus nos corações, as famílias e as comunidades.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Como o coroinha deve se preparar para celebrar o Natal?

Infelizmente vivemos momentos em que a celebração do Nascimento de Jesus Cristo tornou-se um grande evento consumista onde o que predomina é a corrida aos shoppings, as compras, as brincadeiras como o amigo oculto, o inexistente papai Noel, entre outras coisas. O coroinha está no mundo sem ser do mundo, e como tal não é um ET nem um ser alienado das realidades terrestres, mas ao mesmo tempo o coroinha como um jovem do seu tempo pode correr o risco de deixar-se levar pelas realidades do momento e acabar caindo na onda consumista esquecendo qual é o verdadeiro sentido da celebração do Natal.
E qual é mesmo o verdadeiro sentido da celebração do Natal?
Primeiro: Celebramos o grande amor de Deus pela humanidade que se manifestou na encarnação do Seu Filho Jesus no seio da Virgem Maria por obra do Espírito Santo;
Segundo: Celebramos o Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Misericórdia Encarnada do Pai.
E para isso, se perguntássemos ao aniversariante deste dia qual presente ele gostaria receber de nossa parte provavelmente nos responderia com as palavras do Salmo 50: "Não obstante, amais a sinceridade de coração. Infundi-me, pois, a sabedoria no mais íntimo de mim.Vós não vos aplacais com sacrifícios rituais; e se eu vos ofertasse um sacrifício, não o aceitaríeis. Meu sacrifício, ó Senhor, é um espírito contrito, um coração arrependido e humilhado, ó Deus, que não haveis de desprezar."
Agrada a Deus um coração arrependido. É isso que ele neste Natal deseja do coroinha, daquele que se aproxima da manjedoura do altar para o servir. E, por isso, é aconselhável que o coroinha se prepare para este momento através por meio de uma boa e santa confissão.  Desta forma, o coração do coroinha se tornará a manjedoura espiritual na qual o Menino Jesus encontrará espaço para nascer. Então, FELIZ NATAL A TODOS OS COROINHAS E SEUS FAMILIARES.
Padre Antônio Aguiar

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Vamos meditar a Paixão de Nosso Senhor?

VIA-SACRA - ESCOLA VENEZIANA – SÉC. XVIII 
CATEDRAL DE PÁDUA


Quarta Estação: Encontro de Jesus com Sua Mãe Santíssima.

Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.

Maria acompanha a Jesus no caminho doloroso do Calvário. Quem ama quer compartilhar. Quantas vezes Jesus na Eucaristia encontra no caminho de Suas dores, em meio dos inimigos, os filhos do Seu Amor, carrascos e ministros de Suas Graças, que se unem aos carrascos para humilhá-lo. Quantos renegados e apóstatas abandonam o serviço e o amor de Deus, diante de um sacrifício!
Oh! Jesus, eu Vos quero seguir humilhado e maltratado com Maria, minha Mãe.

         Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória...
       Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

De Maria lacrimosa, no encontro
lastimosa, vê e viva compaixão.
Pela Virgem dolorosa, vossa Mãe 
tão piedosa, perdoai-me ó meu Jesus,
perdoai-me ó meu Jesus.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

ADORO TE DEVOTE - São Tomás de Aquino

Eu vos adoro devotamente, ó Divindade escondida,
Que verdadeiramente oculta-se sob estas aparências,
A Vós, meu coração submete-se todo por inteiro,
Porque, vos contemplando, tudo desfalece.

A vista, o tato, o gosto falham com relação a Vós
Mas, somente em vos ouvir em tudo creio.
Creio em tudo aquilo que disse o Filho de Deus,
Nada mais verdadeiro que esta Palavra de Verdade.

Na cruz, estava oculta somente a vossa Divindade,
Mas aqui, oculta-se também a vossa Humanidade.
Eu, contudo, crendo e professando ambas,
Peço aquilo que pediu o ladrão arrependido.

Não vejo, como Tomé, as vossas chagas
Entretanto, vos confesso meu Senhor e meu Deus
Faça que eu sempre creia mais em Vós,
Em vós esperar e vos amar.

Ó memorial da morte do Senhor,
Pão vivo que dá vida aos homens,
Faça que minha alma viva de Vós,
E que à ela seja sempre doce este saber.

Senhor Jesus, bondoso pelicano,
Lava-me, eu que sou imundo, em teu sangue
Pois que uma única gota faz salvar
Todo o mundo e apagar todo pecado.

Ó Jesus, que velado agora vejo
Peço que se realize aquilo que tanto desejo
Que eu veja claramente vossa face revelada
Que eu seja feliz contemplando a vossa glória. Amem

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Termos e Nomes usados no Advento e no Natal parte II

Hoje damos continuidade as nossos exclarecimentos sobre assuntos e dúvidas de termos usados no advento e no natal! Falaremos de Kalendas do natal , Presépio natalino e Missa do galo.

Missa do Galo: É a missa que se celebra após as vésperas de natal,  conta a história que é chamada de missa do galo segundo a qual à meia-noite do dia 24 de dezembro um galo teria cantado, anunciando a vinda do Messias.Nessa missa se  canta o glória assim dando inicio ao  tempo do natal no qual vivenciamos junto de  Cristo toda a sua vida que releembrando  o seu nascimento.

Kalendas do Natal:  Antigo anúncio do nascimento Histórico do Salvador que pode ser cantado ou proclamado antes do glória.Nesse anúncio passamos de  Adão á Abraão, de Jacó a José e de todas a luas e acontecimentos  históricos daquela época  antes da  chegada de  Cristo Jesus ! Hoje no  Brasil temos esse belíssimo texto :
                       
"Tendo transcorrido muitos séculos desde a criação do mundo,
Quando no princípio Deus tinha criado o céu e a terra e tinha feito o Homem à sua imagem;
E muitos séculos de quando, depois do dilúvio, o Altíssimo tinha feito resplandecer o arco-íris, sinal da Aliança e da Paz;
Vinte e um séculos depois da partida de Abraão, nosso pai na fé, de Ur dos Caldeus;
Treze séculos depois da saída de Israel do Egito, sob a guia de Moisés;
Cerca de mil anos depois da unção de David como rei de Israel;
Na sexagésima quinta semana, segundo a profecia de Daniel;
Na época da centésima nonagésima quarta Olimpíada;
No ano setecentos e cinqüenta e dois da fundação da cidade de Roma;
No quadragésimo segundo ano do Império de César Otaviano Augusto;
Quando em todo o mundo reinava a paz, Jesus Cristo, Deus Eterno e Filho do Eterno Pai, querendo santificar o mundo com a sua vinda, tendo sido concebido por obra do Espírito Santo, tendo transcorrido nove meses, (aqui eleva-se a voz, e todos se ajoelham) nasce em Belém da Judeia da Virgem Maria, feito homem:
Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo a natureza humana."
R. Graças a Deus.

Presépio de Natal: O presépio é uma montagem com peças, que faz referência ao momento do nascimento de Jesus Cristo. Com o menino Jesus na manjedoura ao centro, o presépio apresenta o local  e os personagens bíblicos que estavam presentes neste importante momento cristão.De acordo com fontes históricas, o primeiro presépio foi montado por São Francisco de Assis no Natal de 1223. O frade católico, montou o presépio em argila na floresta de Greccio (comuna italiana da região do Lácio). Sua ideia era montar o presépio para explicar as pessoas mais simples o significado e como foi o nascimento de Jesus Cristo.

E assim concluimos todos os significados de algumas coisas que são usadas no nosso natal qualquer  dúvida pergunte pelo comentário

Fabiano Macedo
"zelus domus tuae comedit me"

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Retiro para os maiores

No passado dia 10 de dezembro de 2011 tivemos na Casa da Misericórdia o Retiro para os Coroinhas maiores de 15 anos. Participaram do encontro cerca de 44 coroinhas de 8 paróquias do Vicariato de Sâo Gonçalo. Colaboraram conosco nas palestras Padre José Carlos da Paróquia São José - Abrigo e o psicólogo Malaquias da Comunidade Santos Anjos.
Partilho um pouco as anotações que fiz da Palestra do Pe. José Carlos. O tema foi Vocação do Coroinha - Serviço e Santidade.
Disse ser a vida espiritual a base da vocação e da santidade que o coroinha deve buscar. Neste processo é muito importante que o coroinha esteja em dia com a sua vida sacramental para que no momento em for distribuída a sagrada comunhão na missa em que atua o mesmo possa participar da comunhão, dando assim testemunho para os demais membros da comunidade paroquial que olha para eles. Ter zelo pelas coisas de Deus e testemunhar no relacionamento com os colegas.
Fora da Igreja o coroinha deve procurar ser testemunha fiel de Jesus Cristo para não ser motivo de zombaria e crítica. Caso contrário não estará dando exemplo de alguém que atua no altar de Jesus. Além do mais o coroinha deve evitar certos tipos de brincadeira.
Sua postura deve ser como a de Maria fazendo de tudo para não entristecer o coração de Deus. Aqui é importante a vigilância para não cair na tentação conforme disse Jesus.
Padre José Carlos partilhou um pouco da sua vocação que nasceu sendo coroinha. Inclusive para ajudar sozinho na missa ele procurava chegar mais cedo á Igreja e escondia a veste dos outros coroinhas para ficar só no altar com o padre. Corresponder sempre ao chamado para não entristecer o Coração de Jesus. Exortou todos a buscarem a confissão para o Natal. Coloca a necessidade de viver o espírito de coleguismo, pois são colegas no mesmo serviço que prestam ao Senhor. Devem ter alegria em trabalhar para Cristo e pela Igreja.
(Compíla Padre Antônio Aguiar

sábado, 10 de dezembro de 2011


"Não tenham medo de amar demasiado a Imaculada; jamais poderemos igualar o amor que teve por Ela o próprio Jesus: e imitar Jesus é nossa santificação. Quanto mais pertençamos à Imaculada, tanto melhor compreenderemos e amaremos o Coração de Jesus, Deus Pai, a Santíssima Trindade." 

(São Maximiliano Maria Kolbe)



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Vamos meditar a Paixão de Nosso Senhor?

VIA-SACRA - ESCOLA VENEZIANA – SÉC. XVIII 
CATEDRAL DE PÁDUA
Terceira Estação: Jesus cai pela primeira vez

Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.

Jesus cai pela primeira vez. Quantas vezes cai em terra sem que se saiba. Mas, o que faz cair de dor é o primeiro pecado mortal que mancha a alma. Como é dolorosa a queda de Jesus na alma que O recebe indignamente na Primeira Comunhão! Tratar, assim, a Jesus na primeira vez que vem à alma, cheio de amor: tão jovem e tão culpado!
Oh! Jesus. Obrigado pelo Amor que os testemunhastes na minha primeira Comunhão. Jamais o esquecerei.

         Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória...
       Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pela Cruz tão oprimido, cai Jesus
desfalecido, pela tua salvação.
Pela Virgem dolorosa, vossa Mãe 
tão piedosa, perdoai-me ó meu Jesus,
perdoai-me ó meu Jesus.


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Termos e Nomes usados no Advento e no Natal

No Advento  escutamos em nossas paróquias termos  que não são muito  comum, por exemplo o que é Domingo Gaudete, no Natal quando escutamos falar em Kalendas,Missa do Galo ou até mesmo coisas tão conhecida que nem sabemos os significados como presépio e coroa do advento. O artigo de hoje passaremos   algumas  explicações para o nosso melhor entendimento, vamos por ordem então :

Coroa Do Advento:Desde a sua origem a Coroa de Advento possui um sentido especificamente religioso e cristão: anunciar a chegada do Natal sobretudo às crianças, preparar-se para a celebração do Santo Natal, suscitar a oração em comum, mostrar que Jesus Cristo é a verdadeira luz, o Deus da Vida que nasce para a vida do mundo. O lugar mais natural para o seu uso é família.

Explicaçõe e significados:

O CírculoA coroa tem a forma de círculo, símbolo da eternidade, da unidade, do tempo que não tem início nem fim, de Cristo, Senhor do tempo e da história. O círculo indica o sol no seu ciclo anual, sua plenitude sem jamais se esgotar, gerando a vida. Para os cristãos este sol é símbolo de Cristo.
As velas
As quatro velas indicam as quatro semanas do Tempo do Advento, as quatro fases da História da Salvação preparando a vinda do Salvador, os quatro pontos cardeais, a Cruz de Cristo, o Sol da salvação, que ilumina o mundo envolto em trevas. O ato de acender gradativamente as velas significa a progressiva aproximação do Nascimento de Jesus, a progressiva vitória da luz sobre as trevas.Originariamente, a velas eram três de cor roxa e uma de cor rosa, as cores dos domingos do Advento.
Existem diferentes tradições sobre os significados das velas. Uma bastante difundida:
  • a primeira vela é do profeta;
  • a segunda vela é de Belém;
  • a terceira vela é dos pastores;
  • a quarta vela é dos anjos.
Domingo Gaudete:

Domingo do Advento é conhecido na Liturgia como Domingo Gaudete – “Domingo alegrai-vos!” Com efeito, a alegria é a nota, o clima de toda a Eucaristia .Quando a esperada vinda está finalmente para se realizar e todos os sinais a confirmam, a esperança e a preparação se transformam em alegria e júbilo. A curto prazo, a perspectiva da vinda transforma-se em antecipação da presença. Por isso o espírito deste domingo é de Alegria, que vem de “Gaudete”, ou seja, “Alegrai-vos”(cf. Fl. 4,4-7).

CONTINUA NA PROXIMA SEMANA

Fabiano Macedo
"zelus domus tuae comedit me"

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Nossa Senhora do Advento

"Santíssima Virgem Maria, Senhora do Advento! Pelas alegrias inefáveis da expectação do Vosso santíssimo parto, nós Vos pedimos a graça de uma verdadeira pureza no corpo e na alma e um coração humilde, semelhante ao Vosso. Assim, acolheremos dignamente o bendito fruto do Vosso ventre sagrado, Jesus Cristo, Nosso Senhor, tal como vós O acolhestes no Vosso corpo Imaculado. Pelo santo nascimento do Vosso Filho, intercedei por nós junto do Trono de Deus, para salvação das nossas almas, santificação da nossa vida e para obtermos, no fim da nossa caminhada terrestre, a coroa de glória no Céu, na Vossa companhia. Ámem."
"(...)
O amor de Mãe é, sem dúvida alguma, o mais forte, o mais pleno modo de se relacionar, de “ser para”.
É o amor que gesta, gera, nutre e cuida. Maria, desde o início da criação, é Aquela que foi “concebida”, no projecto de Deus, para realizar esta missão de amor, missão paradigmática para todas as mães, de todas as épocas e idades. Maria é plenamente Mãe porque é a nova Eva, a mãe de todos os que estão vivos. Aquela que se encontra unida ao Filho de Deus “por vínculo estreito e indissolúvel”(Cf. LG 53) e, por isso mesmo, sem o pecado original.

Se o Senhor veio no primeiro Natal, por meio de Maria, o mesmo Senhor vem, ainda hoje, também através d’Ela.

Em Maria cumpre-se, assim, o mistério do Advento. Ela é a aurora que precede, que anuncia, que traz em seu seio o Dia Novo que está para surgir.

Não há melhor maneira de se viver o Advento que unindo-se a Maria Santíssima como Mãe, grávida de Jesus, esperando o seu nascimento. Assim como Deus precisou do sim de Maria, hoje, Ele também precisa do nosso sim para poder nascer manifestar-Se no mundo; assim como Maria Se preparou para o nascimento de Jesus, a começar pela renúncia e mudança de seus planos pessoais para sua vida inteira, nós precisamos de nos preparar para viver este Santo nascimento em nós mesmos e no mundo, também numa disposição de "Faça-se em mim segundo a sua Palavra" (Lc 1, 38), permitindo uma conversão do nosso modo de pensar, da nossa mentalidade, do nosso modo de viver e de agir.

Em Maria encontramos a realização de toda a expectativa messiânica de todo o Antigo Testamento.
Nossa Senhora do Advento, rogai por nós.


Padre Antônio

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Vamos meditar a Paixão de Nosso Senhor?

VIA-SACRA - ESCOLA VENEZIANA – SÉC. XVIII
CATEDRAL DE PÁDUA
Segunda Estação: Jesus levando a Cruz às costas.

Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.

         Jesus é carregado com a pesada Cruz. No Santíssimo Sacramento, os maus cristãos impõem a Jesus uma Cruz bem mais pesada, ignominiosa e dolorosa para o Seu Coração: a irreverência e a tibieza na Sua presença.
Perdão, meu Senhor, por aqueles que Vos tratam sem respeito na Santa Eucaristia, pelas indiferenças e esquecimentos à Vossa presença.

          Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória...
Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Com a Cruz é carregado, e do peso
acabrunhado, vai morrer por teu amor,
Pela Virgem dolorosa, vossa Mãe 
tão piedosa, perdoai-me ó meu Jesus,
perdoai-me ó meu Jesus.